" "

"Um líder é alguém que conhece o caminho, vai pelo caminho e mostra o caminho". (John C. Maxwell).

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Fonte amarga, água amargosa


Lula não pensou duas vezes antes de falar em uma palestra para sindicalistas, semana passada em São Paulo. Averso aos discursos escritos, ele sentiu-se à vontade para dizer com a boca coisas das quais seu coração estava cheio.

Mas diz o ditado popular que quem fala tudo o que quer pode ouvir o que não quer. E o revide foi imediato. O fato repercutiu na imprensa, resultando em muitos cliques e não poucas críticas. De um lado teve vídeo do Senador Magno Malta (ES), do outro lado saiu vídeo do Pr. Silas Malafaia, ambos vistos e compartilhados por milhões de evangélicos em todos os cantos do país. Ao discursar, Lula atirou no próprio pé, atraindo para si a apatia de um grupo significativamente numeroso e que embora dividido em questões litúrgicas, teológicas e também políticas, poderá rezar pela cartilha da oposição. Magno Malta, por exemplo, já votou nele e agora apela para que seus seguidores esqueçam o petista e o partido da estrela.

Onde errou o ex-presidente?

1. Errou ao esquecer que no mundo da política nada do que se diz se desperdiça. Tudo se aproveita, contra ou a favor. Neste caso, a primeira hipótese prevaleceu.

2. Errou ao ensinar o cinismo. Ao dizer, em tom de piada, que o Governo Federal e os sindicalistas devem culpar o diabo pelas omissões e maus feitos deles, Lula tratou com desprezo os problemas nacionais e subestimou a inteligência do povo. Como cristãos, acreditamos que o diabo existe e exerce sua influência neste mundo, mas não é correto debitar tudo na conta dele. Como cidadãos, entendemos que maus gestores devem ser investigados, devidamente julgados e, quando culpados, devem ser punidos. 

3. Errou ao generalizar. Em sua fala, ele não teve o cuidado de separar o joio do trigo e confundiu a parte com o todo. De acordo com a lógica lulista, as coisas funcionam assim: "Um homem de boné amarelo furtou a bolsa da senhora idosa. Portanto, homens de boné amarelo são ladrões".

É verdade que existem pastores que espiritualizam tudo e atribuem aos encostos todos os casos de desemprego, conflitos familiares, enfermidades e dificuldades financeiras. Hábeis mercadores, alguns são capazes de vender por R$ 1.000,00, livros que valem apenas R$ 80,00. Também se apresentam como mediadores entre Deus e os sofredores, ensinando em seguida que é possível barganhar com o Altíssimo. 
- "Faça um sacrifício de R$ ... Deposite tudo aqui e o seus problemas serão resolvidos!"

Neste tipo de negócio não há certificado de garantia e quem tem as expectativas frustradas não pode pedir o dinheiro de volta. Os neo-pregadores logo dizem que se nada deu certo, foi por falta de fé do pobre sujeito. Asqueroso, não é?

Apesar disso, Luis Inácio deve um pedido de desculpas a muita gente. Não são todos os pastores que agem desse jeito, assim como não são todos os políticos corruptos, não são todos os advogados mentirosos nem são todos os padres pedófilos. A grande maioria dos pastores brasileiros é honesta, trabalha muito, ganha pouco, usa transporte coletivo, depende do SUS, não tem espaço na mídia e é cuidadosa no uso das palavras.

Humberto de Lima

terça-feira, 7 de abril de 2015

NOTURNOS


A lua,
O louco da calçada,
A catadora de lixo e seu menino,
A vendedora na festa de rua,
O cachorro faminto,
O vigia a apitar,
A prostituta da esquina,
O motorista do bacurau,
O gari urbano,
O internauta insone,
O telespectador das altas horas,
O casal que discute a relação,
O outro casal que faz sexo,
O teimoso concurseiro,
O crente em vigília,
O plantonista,
Os que escrevem,
Os que leem,
Os sonhos na cabeça dos que dormem,
As lembranças boas de coisas que não voltam mais,
E o pensamento solto na alma do poeta!

Humberto de Lima

terça-feira, 31 de março de 2015

Maioridade Penal - É hora de mudar?


A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados deu hoje parecer favorável pela apresentação do Proposta de Emenda Constitucional que tem por objetivo a redução da maioridade penal no país de 18 para 16 anos. Agora, o projeto será discutido por uma Comissão Especial que poderá ouvir diferentes setores da sociedade através de audiências públicas, e, em seguida, será discutido no plenário e votado em dois turnos. Se aprovada na votação em dois turnos realizada na Câmara, a PEC segue para o Senado, onde se repetirá o mesmo processo.

Sem querer entrar no mérito da (in) constitucionalidade ou discutir os aspectos psicológicos que envolvem a questão, serei breve nesta abordagem, fazendo apenas três perguntas que julgo urgentes e relevantes:

1.  Está o sistema carcerário do Brasil bem preparado para receber e ressocializar os novos apenados com idade de 16 e 17 anos, os quais serão colocados em carceragens de delegacias, cadeias públicas e presídios abarrotados de presos mais experientes no submundo do crime?

2. Este país tem políticas públicas de educação e inclusão social capazes de impedir que adolescentes com idade inferior a 16 anos sejam atraídos e cooptados por quadrilhas?

3. Emancipados aos 16 anos, todos os adolescentes poderão não somente votar; também estarão liberados para dirigir e comprar bebida alcoólica. Estão preparados? Estamos prontos para prevenir os acidentes e lidar com os excessos?

Se a resposta for sim, existe uma justificativa para que se cogite a redução para 16 anos. Sendo negativa a resposta para as duas questões acima, em pouco tempo estaremos outra vez debatendo a possibilidade de baixar a maioridade penal para 14, 12 e 10 anos, com agravamento contínuo do problema. De um lado teremos jovens sendo apresentados cada vez mais cedo aos bandidos que estão presos, e, por outro lado teremos crianças sendo procuradas cada vez mais cedo pelos bandidos que estão soltos! 

Está claro e evidente que a solução não é tão simplista como pensam parlamentares sensacionalistas e indispostos a uma reflexão mais profunda! A problemática deve, pois, ser compreendida e enfrentada em três diferentes aspectos.

1. De fato, temos jovens infratores que precisam ser submetidos às medidas de segurança já previstas em nosso ordenamento jurídico, com melhoramento do sistema e ajustes na dosimetria, podendo a internação extrapolar os limites da maioridade, de acordo com o ilícito praticado, grau de periculosidade e demais detalhes do caso concreto.

2. Também temos pais omissos que precisam ser confrontados ou assistidos pelo Estado, conforme as especificidades de cada caso (aqui se faz necessário diferenciar entre a mãe que dolosamente descuida do filho e a mãe ou pai que não cumpre bem o seu papel por também estar em situação vulnerável).

3. Por último, temos um Estado ineficiente e contaminado pelo vírus da corrupção, para o qual pagamos uma altíssima carga tributária, sem que estes impostos retornem para nós em forma de bons serviços públicos.

Alguém acertadamente já afirmou que a corrupção mata. E mata mesmo! Mata crianças por inanição e por falta de atendimento médico. Ela desestrutura famílias por falta de emprego e condições dignas de sobrevivência. Ao roubar deles a chance de ter uma escola boa, ela mata adolescentes e também transforma milhares deles em assassinos.

Humberto de Lima

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

10 perguntas que todo brasileiro deveria fazer



1. O Nordeste sempre teve que lidar com a problemática das secas. Por que somente agora o tema se transforma em debate nacional?
2. Nos últimos dois anos que antecederam às últimas eleições, cientistas brasileiros alertaram os governos estaduais e federal sobre a aproximação da longa estiagem. Por que eles, os governos, não tomaram as providências necessárias? Por que esconderam essa informação e não a repassaram para o povo?
3.  Matéria de hoje veiculada pelo JN mostrou que Nova Iorque economiza mais água agora do que o fazia há 25 anos atrás. Além disso, eles já estão trabalhando para que a cidade tenha o abastecimento garantido daqui a 50 anos! Por que aqui as ações governamentais são tardias e improvisadas? Por que não planejam a longo prazo?
4. Todos os anos, milhões de metros cúbicos de agua da chuva escorrem pelas ruas das grandes cidades e se perdem no mar. Por que os prédios urbanos públicos e privados não são projetados para armazenar de forma segura a água boa e limpa que vem do céu?
5. A exemplo de São Paulo e do Tietê, várias capitais brasileiras são cortadas por rios perenes, cheios de muita água, de muito lixo e também de muitas fezes. Por que?
6. Por que as autoridades cobram economia por parte dos consumidores mas não punem a inércia e o desperdício causado pelas empresas distribuidoras?
7. Por que os órgãos fiscalizadores permitem o desmatamento das nascentes de rios e de suas matas ciliares?
8. Por que favelas e construções de ricos (igualmente irregulares) são permitidas às margens de nossos rios e lagos?
9. Por que Cidadania, incluindo Educação Ambiental, não faz parte do currículo escolar desde o Ensino Fundamental?
10. Por que tentam culpar São Pedro por todo esse desastre sem que ele tenha recebido um só centavo dos muitos milhões de reais que nós pagamos em impostos? Nosso problema é mesmo um problema hídrico?


Humberto de Lima

sábado, 31 de janeiro de 2015

Crônica de fim de férias


Todos os anos eu costumo me ausentar do trabalho durante algumas semanas de janeiro. Embora as limitações financeiras nãos nos permitam ir muito longe, aproveitamos a oportunidade para descansar, encontrar parentes e amigos e admirar belas paisagens de nossa Paraíba. Dessa vez, resolvi reduzir o acesso às redes sociais e aos noticiários; o que me deu mais espaço para conversar com familiares e para atividades ao ar-livre. Uma maravilha! 

Na volta, descobri que a Presidente da República também andou ausente, distante do povo e da imprensa; constatei que o sumiço dela não foi sumiço de férias. As noticias nos jornais e revistas dos últimos trinta dias explicam tudo:

PETROBRÁS - Acaba de paralisar a construção de refinarias no Nordeste depois de ter enterrado milhões de reais  nos projetos inacabados. Além disso, a reputação da empresa foi ao fundo do poço depois de ter publicado o balanço do último trimestre, omitindo o prejuízo de 88,6 bilhões causado pela má gerência.

NA ONU - O Brasil acumula uma dívida de vários milhões de dólares, o que tem acarretado a perda do direito de voto em vários órgãos, além da perda de vagas em diversas comissões.

ÁGUA, LUZ E GASOLINA - Os três tiveram seus preços majorados nos últimos dias. Pelo fato de serem itens indispensáveis ao funcionamento da indústria e do comércio, logo mais veremos a inflação mostrando sua carranca nas compras do supermercado.

EDUCAÇÃO E SALÁRIO MÍNIMO - Depois de ter anunciado que o lema do governo para os próximos quatro anos será "Brasil, Pátria Educadora", o Palácio do Planalto providenciou cortes no orçamento do Ministério da Educação. Já o novo salário mínimo de R$ 788,00 trouxe para o bolso do trabalhador um aumento de apenas R$ 2,13 por cada dia trabalhado. 

SEGURANÇA - Levantamento feito por organizações internacionais acabam de incluir Maceió, Fortaleza, João Pessoa, Natal, Salvador, Vitória, São Luís, Belém, Campina Grande, Goiânia e Cuiabá no rol das trinta cidades mais violentas do mundo! 

Coloque o cinto de segurança! 2015 está apenas começando e o Brasil de verdade se distancia cada vez mais do Brasil pintado pelo governo na propaganda eleitoral. Aquele é cheio de fantasias, e neste, a vaca tosse como nunca.

Humberto de Lima

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

ANO NOVO, METAS NOVAS


Gratos por mais um ano que começa, devemos parar e fazer um balanço em nossas vidas, área por área. O momento é, portanto, mais que oportuno para que cada um de nós pergunte a si mesmo: - Estou satisfeito? Está tudo bom demais ou há algo que precisa ser melhorado?

Certamente, ao fazer um auto-exame, você se verá diante da necessidade de obter outros resultados, galgar outros níveis, sonhar novos sonhos... E é aqui que entra a palavra META. Sem metas tendemos a nos acomodar, permanecemos paralisados, definhamos. Com metas, somos convidados a agir, crescer, mudar! Pensando nisto, resolvi escrever com o propósito de lhe ajudar a estabelecer metas que certamente lhe ajudarão a fazer deste novo ano um dos melhores anos de sua vida! Como devem ser suas metas?

1. METAS PARA CADA ÁREA DE SUA VIDA - Você pode estabelecer metas para sua educação, saúde, relações familiares, carreira profissional, finanças, ministério e até mesmo para o seu crescimento espiritual.

2. METAS CLARAS - É bom quando você sabe exatamente o que quer, com detalhes. Assim você evitará distrações e terá o seu foco direcionado para o que realmente lhe importa. Quem tem uma meta genérica apenas diz: - Eu quero melhorar minha situação financeira. Por sua vez, quem tem uma meta clara diz: - Eu quero melhorar minha situação financeira reduzindo 30% de minhas despesas mensais, investindo 20% de tudo o que ganho e aumentando minha renda com um salário extra. Percebe a diferença?

3. METAS REALISTAS E AO MESMO TEMPO DESAFIADORAS - Suas metas não devem ser absurdamente impossíveis ao ponto de lhe causar frustrações, mas também não devem ser tão faceis ao ponto de não gerar entusiasmo. Por exemplo, não sou cidadão norte-americano e por isso não posso ser candidato à presidência dos Estados Unidos; mas posso ser candidato a presidente de uma associação comunitária ou posso tentar ser deputado pelo Estado da Paraíba.

4. METAS COM PRAZO DEFINIDO - Quando uma pessoa marca para começar alguma coisa qualquer dia desses, ela na verdade está marcando para nunca começar. O calendário tem horas, semanas que vão de domingo a sábado e meses com 28, 29, 30 ou 31 dias. Agende sua meta para o dia 03 de Maio, 15 de Novembro ou para outra data que lhe parecer mais interessante, pois com prazo definido ela terá mais chances de ser alcançada.

5. METAS ESCRITAS - Alguém já disse que meta não escrita é meta esquecida. De fato, alguns dias depois do Réveillon, passada a emoção sentida durante o espoucar dos fogos, muitas de nossas resoluções de ano novo são deixadas de lado. Por isso, ter lembretes escritos em sua carteira, caderno, agenda ou na porta de seu guarda-roupa, ajudarão você a lembrar do compromisso assumido com a sua meta.

6. METAS PERSEGUIDAS - Para nada servirá uma boa lista de desejos se você não arregaçar as mangas e trabalhar para que eles se tornem realidade. No Livro de Provérbios (14:23) a Biblia ensina que em todo trabalho árduo há proveito mas quem fica somente falando acaba na pobreza.

7. METAS COM BOAS MOTIVAÇÕES - Em sua primeira carta aos Coríntios (10:31) o apóstolo Paulo escreveu dizendo: - Façam tudo para a glória de Deus! São Tiago (4:1-3) certa vez escreveu sobre pessoas que oram mas não têm seus pedidos atendidos porque a motivação é egoísta e maldosa. Metas com motivação certa são metas que honram a Deus, buscam o nosso próprio bem mas também visam fazer bem ao próximo. Só seremos verdadeiramente abençoados quando aprendermos a ser benção para as demais pessoas. 

Feliz Ano Novo!

Humberto de Lima

Mais lidas na semana