" "

"Eu penso que patriotismo é como caridade - Começa em casa!". (Henry James).

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Penso, logo sou livre!



Já vai longe o tempo quando eu acreditei em super-homens e quis ser um deles. Agora vejo que eles não eram tão super o quanto eu imaginava; de fato, por trás da capa de onipotência se escondia a arrogância própria daqueles que mal conseguem ser simplesmente humanos.

Hoje procuro manter distância dos que se proclamam possuidores da suprema  infalibilidade (atributo que todos os papas provaram não existir nos humanos).
 
Distante dos modelos de perfeição expostos nas vitrines midiáticas do mundo religioso, eu prefiro a companhia de quem já viveu abertamente a realidade dos verbos cair e levantar.
 
Procuro aconselhar-me com aqueles que não escondem de mim o fato de serem pós-graduados na escola dos erros e acertos, com todas as quedas, lições, lágrimas e alegrias que integram seus históricos de vida.
 
Jesus tinha mesmo razão quando dizia: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Parafraseando o filósofo, penso e logo sou livre! É que agora, com os sentidos da alma mais aguçados, consigo distinguir melhor as diferenças entre Deus e o que dele me disseram. 
 
Liberto das correntes do dogmatismo, sou visto por alguns como um incrédulo; mas deslumbrado com a simplicidade da fé, prossigo olhando pra cima.
 
Humberto de Lima

Um comentário:

Pablo Rayff disse...

Bom texto! Acredito que esse dogmatismo foi uma venda que criaram por meio de muitas leis que escondem quem é Deus. Criaram obrigações que não imagino que Deus aprecie. É justamento esse pensar, esse refletir, que nos abre os olhos. Melhor dizendo, nos desvenda os olhos.

Mais lidas na semana