" "

"Quando a escola progride, tudo progride!". (Martinho Lutero).

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Do vigésimo segundo andar

Do vigésimo segundo andar...
O grande se apequena,
O minúsculo se agiganta,
E o distante se aproxima.

Lá,
Vejo mais que antes,
Sei mais que antes;
Sou ao mesmo tempo águia poderosa e pardal cansado.

De lá,
Entendo e choro o que não foi,
Imagino o que ainda poderá ser
E ouço a voz que me faz teimoso.

Viver, querer, sonhar...
Verbos falam comigo no vigésimo segundo andar!

Humberto de Lima

7 comentários:

Talitta Dantas disse...

Muito bom!

Emanuelle disse...

ele ainda ousa dizer q a inspirão lhe foge...nunca neh ? sabes manipular as palavras coomo ninguem...adorei o poema ^^

Anônimo disse...

Parabéns por mais este belo texto, Humberto.
Agora te confesso e vc depois há de me explicar o porque do vigésimo segundo andar, amigo. Algo de místico nisso ou foi o vigésimo segundo andar escolhido ao acaso?
Um abração!

Diego Navarro.

Humberto de Lima disse...

Don Diego!

O vigésimo segundo andar foi escolha de meu irmão. Vou lá sempre que posso; e, da sacada, o pensamento voa...
Abraço da Serra do Bodopitá,

Humberto.

Dri Viaro disse...

Oi , passei pra conhecer seu blog, e desejar bom dia

bjss

aguardo sua visita :)

Anônimo disse...

Pr Humberto, talves seja mais um indicio de que o homem nasceu para "as coisas grandes", assim como o PAI, pois sempre que temos diante dos olhos grande imagens, como o mar, um grande campo aberto, a visao de um lugar alto, nossos pensamentos parecem ficarem melhores.
um abraço,
do irmao Roberto

Maria Alice disse...

ahhh... esse 22º andar...quantas coisas não se veêm de lá ?...

adorei !!


bjkasssssssssssss

Mais lidas na semana