" "

"Eu penso que patriotismo é como caridade - Começa em casa!". (Henry James).

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

As conversas de Anabela

Anabela é uma daquelas pessoas que eu conheci lá para as bandas do litoral e nunca mais esqueci!
Dentre os seus passatempos preferidos estão caminhada, hidroginástica e as viagens com o marido ou com algumas de suas muitas amigas. Mas há ainda outras duas coisas que não posso deixar de citar: ela adora olhar defuntos e conversar sobre enfermidades. Nos velórios, ela observa bem direitinho a cara do morto, faz amizade com algum parente do mesmo, e, em poucos minutos já sabe um monte de coisas sobre a biografia e também sobre a causa mortis.

Uma vez, num consultório médico, uma mulher falou pra ela o tipo de problema que a levara até ali. Coitada! Anabela contou-lhe sobre outra mulher, conhecida sua, que teve o mesmo tipo de mazela, mas ainda conseguiu sobreviver por mais dois anos.

Certo dia, por ocasião de uma visita, lhe perguntei sobre um conhecido nosso, que eu não via há bastante tempo. Imediatamente ela me disse por onde andava o camarada e já foi fazendo um link em direção ao seu tema preferido:

- Ah, você nem sabe! Um vizinho dele começou sentindo uma dor nas costelas, essa dor foi aumentando, aumentando, aumentando...; e, quando ele resolveu cuidar, o tumor já estava grande demais!

Enquanto ela continuava, contando os detalhes dolorosos do caso, eu, arredio a esses papos, fui logo inventando uma maneira de mudar o rumo da prosa.

- Estou pensando em tomar uma sopa. A senhora sabe onde temos uma boa soparia por aqui?
- Sim, sei; tem uma excelente lá no fim da Epitácio. Por falar em sopa, Lia de Dudé tomou uma sopa de camarão e ficou toda intoxicada! Tudo começou com uma coceira danada, parecia que os olhos iam saltar das caixas; depois, ela foi ficando toda roxa e inchada! Quase, quase! Alergia é um doenção; parece simples, mas também mata!

Eu – Será que este sábado vai ser bom para pegar uma praia?
Ela – Acho que sim; ainda estamos no verão. Mas é preciso ter cuidado. Um dia desses, uma amiga minha lá de Bayeux foi parar no Hospital Napoleão Laureano. Resultado? Câncer de pele!

Com um poder de descrição incrível, ela prossegue, fazendo passar no telão de nossas mentes todas as minúcias sofridas pela amiga.

Procuro outra vez cambiar o foco da conversa, mas não vou muito longe. Dois minutos depois lá está ela de novo discorrendo sobre uma moça que está acometida por uma hemorróida agressiva.

Percebendo minhas tentativas de correr em direção a outros assuntos, Anabela se volta para os demais que estão sentados à mesa e finalmente dispara:
.
- Virgem Maria! Parece que esse Humberto é nervoso!

Humberto de Lima

Nenhum comentário:

Mais lidas na semana