" "

"Quando a escola progride, tudo progride!". (Martinho Lutero).

sábado, 11 de outubro de 2008

Crise mundial, no meu quintal!

Esta foi uma semana maluca!
Lá no lado de cima da linha do Equador, o índice Dow Jones despencou de novo e ferrou milhões de norte-americanos. Do lado de cá, o I-Bovespa acompanhou a queda iniciada na terra do Uncle Sam e lascou alguns brasileiros (investidores de curtíssimo prazo). Já os bancários, certos de que não há crise, resolveram que está na hora de exigir aumento e entraram em greve!

Problemão: Faltou dinheiro no caixa eletrônico, faltou dinheiro no meu bolso, e faltou ração no quintal. De manhã cedo, dei de cara com um piquete armado na porta dos fundos! O galo e todas as suas galinhas (ele agora está com quatro), acompanhados dos frangos, frangas, pintos e pintas, estavam revoltados, fazendo barulho e sujando minha calçada toda! Fazer barulho e muito cocô na minha calçada foi a melhor forma de protesto encontrada por eles. Além disso, começaram a me seguir aonde quer que eu fosse, com aquela convicção sindical de que “galinhas unidas jamais serão vencidas!” Apesar de não ser fluente no idioma delas, consegui entender que por trás daquilo tudo o grito era um só: - Queremos nosso milho, queremos nosso milho!

Solução: Sem nenhuma reserva no FMH – Fundo Monetário Humbertonical, recorri ao endividamento externo (sim, dívida externa!). Falei com o dono do mercadinho e ele me enviou meia saca de milho para pagamento posterior. Dentre as clausulas do nosso contrato (tácito, em razão de outros semelhantes, anteriormente firmados), fiz questão de incluir prazo ilimitado e não incidência de juros. Dessa maneira, o negócio se tornou perfeitamente viável para mim.
Em poucos minutos, o moto-boy chegou, trazendo a encomenda; e, minhas famélicas galináceas vibraram, cacarejando para todos os lados que eu sou o melhor dono do mundo!

Sugestão:

1. Se você tem ações na bolsa, não faça nada com elas agora. A época está boa para comprar mais, se você for um investidor de longo prazo. Se você queria um retorno mais rápido, se deu mal e não quer vender com prejuízo, espere também; pois vai levar um bom tempo até que as perdas sejam recuperadas.

2. Comprar roupas, calçados, eletrônicos e automóveis é bem diferente de comprar milho para galinha. Então, fuja dos crediários! Os juros estão altíssimos! Pratique a regra das 48 horas: Saia de perto daquela vitrine que lhe tenta com a possibilidade de comprar em 1001 vezes e corra pra casa. Se dois dias depois, o impulso não tiver passado, volte para a loja e seja feliz em seu novo endividamento.

3. Economize ao máximo, economize em tudo, até nos espirros! Afinal, não sabemos por quantas outras vezes essa semana maluca vai se repetir.

4. Se você seguir as minhas dicas, e, ainda assim, der tudo errado, não se desespere nem fique com raiva de mim. Eu lhe garanto que tudo passa e daqui a cem anos ninguém fala mais nisso...


Humberto de Lima

3 comentários:

Izanete disse...

Legal sua crônica! A crise nos pegou mesmo,mas concordo com você, ela irá passar.

Alice disse...

Passei para deliciar-me em ler-te e te deixar um super abraço e um feliz final de semana !!


bjkasssss

Francinaldo disse...

kkkkkkkk!!!!!! Essa foi muito boa, vi um texto tão soblevado, em um momento de crise, derrepente esse sindicato de galinhas foi muito bom. Recomendo que o Senhor assista o filme: "A FUGA DAS GALINHAS". Hoje está complicado até para saber o monetário especifico para desbastar os fios capilares de nossa caixa craniana. kkkkkkk!!!!! VIDA E PAZ.

Mais lidas na semana