" "

"Eu penso que patriotismo é como caridade - Começa em casa!". (Henry James).

terça-feira, 22 de julho de 2008

Aramy, o defensor dos bichos.


Aramy nasceu em Fagundes (PB) e aqui cresceu no Sítio Matias, terra de muito verde, onde fica a Serra do Bodopitá. Quando menino, caçar e capturar animais silvestres era um costume praticado pelos mais velhos e imitado pelos mais novos. Mas Aramy pensava diferente, agia diferente... Não gostava de criar passarinhos em gaiolas, não achava certo que animais fossem tirados da mata para viver enjaulados ou acorrentados. Além disso, ele também não comia os animais que eram trazidos pelos caçadores; e, tentava sensibilizar o povo, para que todos se tornassem protetores dos bichos.

Com o tempo, percebendo que as pessoas teimavam em continuar prendendo e matando os animais, Aramy declarou guerra contra aquela cultura. Desde então, com treze anos de idade, começou a lutar sozinho, soltando os animais que eram criados em cativeiro e destruindo as armadilhas que eram colocadas no mato. Na fazenda, os primos de Aramy e os vaqueiros do lugar ficavam muito zangados, sem saber quem estava aprontando aquilo! Acabava de surgir um defensor dos sabiás, azulões, pintassilgos, tatús, maracajás, furões... Acabava de se levantar um ativista comprometido com a preservação da fauna e flora do agreste!

Anos depois, após assistir a uma matéria televisiva sobre a extinção das baleias, o garoto percebeu que precisava de aliados para sua causa. Correu para o colégio Joana Emilia e disse que queria falar com a professora e diretora Maria de Almeida. Ela o recebeu e ele foi logo se apresentando, dizendo que apoiava uma entidade de Nova Iorque; acrescentando que gostaria de falar sobre ecologia para os alunos! Ela permitiu e Aramy foi de sala em sala, tentando sensibilizar os alunos para que ajudassem a preservar o meio ambiente. Ainda hoje, a professora ri quando lembra do jeito apressado do menino que dizia ser do GreenPeace!

.
Ele já morou 71 dias e noites na floresta, protegendo o urutau (pássaro fantasma em tupi-guarani). Num protesto em defesa dos animais, ele já acampou defronte ao Palácio do Governo em João Pessoa e também ficou enjaulado em praça pública na cidade de Campina Grande. Richard Rasmumssen, famoso apresentador de TV engajado na luta pró-natureza, já veio visitá-lo três vezes aqui na Paraiba.
.
É sem ajuda estatal nem de empresas, contando apenas com o auxilio de alguns amigos, que Aramy toca e divulga vários projetos voltados para a preservação do meio ambiente. Dentre eles, podemos destacar o Projeto Biqueira Véia, Natureza Livre, Adote uma árvore, Eco-Teatro na escola, Plantando na Escola, e o projeto SACO DE LEITE VAZIO NÃO É LIXO, o mais conhecido de todos.
.
Para colaborar e obter mais informações sobre Aramy e seu trabalho, escreva para aramy.fablicio@gmail.com ou ligue para (83) 8639-8537.

Humberto de Lima.

2 comentários:

Izanete de Lima (Cientista Social) disse...

Ótima a iniciativa! Que bom seria se mais pessoas se interessassem pela natureza; afinal de contas o homem poderia viver bem melhor se a respeitasse!

Anônimo disse...

Esse rapaz é maravilhosoooooo!!

Deus te abençoe moço!!!

Mais lidas na semana